Jornal - "MISSÃO JOVEM"

Catequese "MISSÃO JOVEM"

Teologia - Deus Trindade

DEUS - TRINDADE NAS PRIMEIRAS COMUNIDADES CRISTÃS

VIVER COMO A TRINDADE...

Os primeiros cristãos viveram o amor ensinado e vivido por Jesus. Como nos relatam os Atos dos Apóstolos, no rimeiro retrato da comunidade, eram perseverantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, no partir o pão e nas orações..., eram unidos e colocavam em comum todas as coisas, vendiam suas propriedades e seus bens e repartiam o dinheiro entre todos, conforme a necessidade de cada um (At 2,42.44-45). Mais adiante, num outro retrato, se testemunha que a multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma (At 4,32).

As primeiras comunidades cristãs receberam de Jesus e dos seus discípulos e discípulas o apelo a viverem na terra do mesmo modo como a Santíssima Trindade vivia no céu. Mais que fórmulas doutrinais e preocupações intelectuais para entender, com a cabeça, esse mistério de fé, os primeiros cristãos simplesmente se puseram no caminho de Jesus, vivendo o amor fraterno, num só coração e numa só alma.

APAIXONADOS POR DEUS-TRINDADE

Mas, se o coração tem razões que a própria razão desconhece, como diz o ditado popular, é também verdade que o coração quer saber das coisas, quer entender com a razão e a inteligência o sentido profundo de suas pulsações e paixões.

Apaixonados por Deus-Trindade, os cristãos dos primeiros séculos não diziam, como nós dizemos hoje, que em Deus nós temos “uma só natureza em três pessoas”. Essa expressão só apareceu no final dos anos 200. Até lá, eles simplesmente narravam as maravilhas operadas pelas três pessoas. Ainda não faziam teologia como ciência, como estudo racional da fé. Apenas repetiam, de todos os modos possíveis, nas celebrações dos sacramentos, nas profissões de fé, na catequese e em todos os momentos da vida cristã, o que cabia a uma ou outra pessoa divina.

TESTEMUNHANDO A TRINDADE

O apóstolo Paulo, o maior testemunha da vida das primeiras comunidades e grande incentivador da fé em Deus-Trindade, insiste em lembrar que em tudo estão presentes e atuantes as pessoas divinas. Entre tantos de seus testemunhos trinitários, lembremos alguns.

Saúda os destinatários de suas cartas com a fórmula utilizada, já naqueles tempos, nas celebrações: a graça do Senhor Jesus Cristo e o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vocês (2 Cor 13,13; ver também: Rom 16,20-21; 1 Cor 16,23; 1 Tes 5,28; 2 tes 3,18).

Reconhece que a diversidade de carismas, de ministérios e de energias vem de Deus-Trindade (1 Cor 12,4-6). Em nossa filiação divina adotiva agem as três pessoas (Gal 4,6). O Reino de Deus é paz e alegria no Espírito Santo, serviço ao Filho e agrado ao Pai (Rom 14,17-18). Cada qual de nós, e a comunidade como um todo, é templo da Trindade (Ef 2,20-22).

Outros autores, além de Paulo, também testemunham a vida trinitária das primeiras comunidades. Trazemos aqui apenas alguns exemplos.

Pedro inicia sua primeira carta lembrando a relação única de cada cristão e da comunidade com a Trindade: “Escolhidos por Deus Pai, santificados pelo Espírito e purificados pelo sangue de Jesus Cristo” (1Pd 1,2).

Judas Tadeu, em sua cartinha, estimula os cristãos a rezar no Espírito, manter-se no amor do Pai e esperar a misericórdia do Filho (Jd 20.21).

João, na sua primeira carta, depois de lembrar que o Pai nos deu seu Filho e o Espírito Santo, incentiva os cristãos a viverem na comunhão divina, definindo, pela única vez em toda a Escritura, que “Deus é amor” (1 Jo 4, 8 e 16).

PARA REFLETIR


1.º Em que medida a vida atual de nossas comunidades reflete a vida das primeiras comunidades?

2.º Em que devemos mudar paranos nos tornarmos mais semelhantes aos primeiros cristãos?

Pe. Vitor G. Feller

Visite as outras páginas

[P.I.M.E.] [MUNDO e MISSÃO] [MISSÃO JOVEM] [P.I.M.E. - Missio] [Noticias] [Seminários] [Animação] [Biblioteca] [Links]

Voltar