Jornal - "MISSÃO JOVEM"

Catequese "MISSÃO JOVEM"

Bíblia - Evangelho de Lucas

Continuando a Missão de Jesus

O missionário Lucas conversando a respeito do livro dos Atos dos Apóstolos (1.ª parte)

Irmãos e irmãs de caminhada!
Desde 1996, a Igreja no Brasil tem feito uma bonita caminhada de Evangelização através do Projeto Rumo ao Novo Milênio. Nestes anos, tivemos a oportunidade de conhecer mais de perto a pessoa e a prática de Jesus, estudando os Evangelhos de Marcos, Lucas, Mateus e João. Queremos agora continuar esta Caminhada conhecendo melhor as Comunidades Cristãs Primitivas. Para isto, vamos estudar o livro dos Atos dos Apóstolos.

Estaremos juntos durante os próximos dois anos. Vai ser bom demais! Estou feliz por, mais uma vez, colaborar nesta missão de difundir a Boa Notícia de Jesus, sempre vivo e atuante, no meio de nós. O Espírito Santo vai ser nosso grande Guia e Amigo. Ele é a Sabedoria, a Força e a Liberdade. Ele vem tomar conta do nosso pensamento, de nossas palavras, de nosso agir e de todo o nosso ser...

De novo com vocês!

Penso que a maioria de vocês já me conhecem. Estivemos juntos quando aprofundamos o Evangelho de Lucas. Aí Jesus nos revelou que a Salvação de Deus é dádiva concedida a todos os homens e mulheres do mundo inteiro, sem exclusão de ninguém. Naquela ocasião, nós dissemos que o Evangelho de Lucas é o primeiro volume da obra que nós escrevemos, em mutirão, pelo ano 90.

O segundo volume é o livro dos Atos dos Apóstolos. Aqui nós pretendemos resgatar a memória da vida e da missão dos discípulos e discípulas de Jesus, após sua morte e ressurreição. Eu tive um interesse especial em realizar esta tarefa. Vocês sabem que eu me tornei cristão por causa do testemunho de fé que os Apóstolos e Apóstolas transmitiram com muita ousadia e convicção.

A História da Salvação em várias etapas

O projeto de nossa obra (Evangelho de Lucas e Atos dos Apóstolos) tem por objetivo oferecer uma visão global da História da Salvação de Deus desde a Primeira Aliança ou Antigo Testamento e baseia-se no que está resumido em Lucas 16,16: “A Lei e os Profetas chegaram até João; daí para frente o Reino de Deus é anunciado, e cada um se esforça para entrar nele, com violência”.

Nestas palavras de Jesus estão contempladas as etapas da História da Salvação que Deus realizou no meio da humanidade:

1.ª etapa: O tempo da Primeira Aliança – a Lei e os Profetas. A Sagrada Escritura do Antigo Testamento dá o testemunho deste tempo. Mostra como Deus se manifestou ao Povo de Israel e como Ele revelou o seu Plano de Amor e Salvação. É neste tempo que os profetas e profetisas suscitam a esperança de um Messias-Salvador. É tempo de promessa. É tempo de espera militante. É tempo de preparação que vai até João Batista.

2.ª etapa: O tempo de Jesus de Nazaré – o Reino de Deus é anunciado. Após a missão do grande profeta João Batista, Jesus vem inaugurar o Reino de Deus. Sua vida, suas palavras, sua prática libertadora estão relatadas no Evangelho de Lucas, que constitui a primeira parte de nossa obra.

3.ª etapa: O tempo das Comunidades – cada um se esforça para entrar no Reino, com violência. Após a morte e ressurreição de Jesus, os seus seguidores e seguidoras procuram viver em comunidades e difundir a ação e a palavra do Messias-Salvador pelo mundo afora. Para isto, enfrentam dificuldades diversas. Também eu optei por seguir a Jesus e, por isto mesmo, faço parte destas comunidades.

Meu nome

Lucas é meu nome. Sou lembrado por todos como “evangelista e médico”. Por três vezes fui citado nos escritos de Paulo:

Segunda carta a Timóteo 4,11: Paulo escreve dizendo que ele está sozinho comigo...

Colossenses 4,14: Aí Paulo me chama carinhosamente de “querido médico”...

Filemon 24: estamos numa equipe de missionários junto com Paulo...

Como vocês podem perceber por estes textos, eu faço parte do grupo de evangelizadores que viajam pelo mundo afora, tendo como principal líder o nosso amado Paulo de Tarso.

A sua experiência de conversão e, sobretudo, a sua coragem de testemunhar a Jesus, me convenceram que este é o caminho verdadeiro que conduz à vida de alegria, paz e felicidade. Quando a gente descobre algo verdadeiro e muito especial, tem vontade de contar prá todo mundo. É o que quero fazer com vocês através destes nossos encontros.

A obra que escrevi não tem a minha assinatura. Aliás, foi a partir do século II que as Comunidades começaram a atribuí-la à minha pessoa. Tudo bem. Na verdade, o que importa é o conteúdo que aí está. Ele é de fundamental importância para todos os cristãos e cristãs de todos os tempos e lugares.

Por que escrevi Os Atos dos Apóstolos?

Minhas viagens missionárias com Paulo e demais companheiros, me fizeram conhecer muitas pessoas que se encontravam em realidades diferentes. Vou colocar algumas destas situações:

1) Diversas culturas.

Dentro do Império Romano se misturavam povos provindos basicamente de três culturas: grega, judaica e romana. Eu mesmo sou de cultura grega. Cada uma delas têm seus costumes e tradições. Cada uma delas com mentalidades e interesses próprios. Cada uma delas com práticas políticas e religiosas diferenciadas...
Nós temos a convicção de que a proposta de Jesus não é excludente. Mas como fazer para que as pessoas de todas as culturas cheguem a um relacionamento fraterno?

2) O judaísmo rabínico.

No tempo em que escrevemos o Evangelho de Lucas e Atos dos Apóstolos, não existia mais o Templo de Jerusalém. Ele havia sido destruído pelo ano 70, com a invasão do exército romano comandado pelo general Tito. Com a destruição do Templo, os rabinos judeus se reuniram e decidiram a respeito dos livros que deveriam ser considerados sagrados. Fora daqueles livros, que constituem a Bíblia Hebraica, não se admite outros livros como normativos. Além disto, estes rabinos não reconheciam a Jesus como o Messias-Salvador.
Os judeus que aderissem à fé cristã eram expulsos das Sinagogas: locais de estudo da Sagrada Escritura. Eram considerados traidores da única verdadeira religião. Isto causou profundo sofrimento. Como fazer para que estes nossos irmãos e irmãs se sintam acolhidos e amados na nova comunidade?

3) O sistema de pureza.

O judaísmo rabínico não admite relacionamentos com estrangeiros. Uma falta considerada gravíssima é comer na mesma mesa com pessoas estrangeiras. As comunidades cristãs, desde o começo, tinham a prática de reunir-se nas casas para realizar a Ceia em memória de Jesus. A casa era o espaço do encontro e da organização dos cristãos e cristãs.

E apareceu a questão prática: como é possível sentar-se à mesma mesa com as pessoas consideradas impuras e comer alimentos, muitas vezes considerados amaldiçoados? Enfim, como superar este sistema e organizar um novo jeito de convivência?

4) Os judaizantes.

Eram grupos de homens, provindos do judaísmo, que pregavam a obrigatoriedade da circuncisão também para os estrangeiros. Só assim eles poderiam salvar-se. Neste grupo havia vários judeus-cristãos. Até alguns de nós, missionários, chegamos a ficar em dúvida: vamos exigir ou não a circuncisão como critério para o seguimento de Jesus?

5) As classes sociais.

Tratamos disto, de maneira muito especial, no Evangelho de Lucas. Para nós é uma questão crucial. Seguir a Jesus significa entrar no caminho da justiça. Isto implica em administrar os bens materiais de forma que possam servir à vida digna de cada ser humano, segundo as suas necessidades. Como convencer, sobretudo as pessoas ricas, a entrar neste caminho?

6) Mulheres e homens.

Já disseram por aí que o Evangelho de Lucas é o “Evangelho das Mulheres”. Em Atos dos Apóstolos continuamos a insistir no caminho da inclusão. Como vencer esta tendência machista presente também nas comunidades cristãs?

7) Perseguições, conflitos, desânimo, acomodação...

Como permanecer firmes e unidos no meio de tantos conflitos internos e externos que vão aparecendo no cotidiano de nossa vida comunitária?

Caminhar é preciso

Vocês estão vendo que são vários os motivos que nos levaram a escrever os Atos dos Apóstolos. Na verdade, este livro quer mostrar e incentivar a continuação da obra de Jesus, agora realizada por seus seguidores e seguidoras, sob o impulso do Espírito Santo.

É preciso pôr-se em caminhada, pois o caminho de Jesus (Evangelho) e o caminho das Comunidades (Atos dos Apóstolos) revela o caminho da Salvação para o mundo todo.

Pe. Celso Loraschi.

Para conversar:

1.º O Evangelho de Lucas é a primeira parte da obra de Lucas.
O que lembramos deste Evangelho?

2.º Quais são os motivos por que Lucas escreveu a segunda parte de sua obra:
os Atos dos Apóstolos?

3.º Que outros aspectos nos chamaram a atenção neste primeiro encontro do Novo Milênio?

Visite as outras páginas

[P.I.M.E.] [MUNDO e MISSÃO] [MISSÃO JOVEM] [P.I.M.E. - Missio] [Noticias] [Seminários] [Animação] [Biblioteca] [Links]

Voltar